Are you the publisher? Claim or contact us about this channel


Embed this content in your HTML

Search

Report adult content:

click to rate:

Account: (login)

More Channels


Channel Catalog


(Page 1) | 2 | 3 | .... | 35 | newer

    0 0



    Uma menina com o corpo coberto de ferimentos foi tomada pela justiça e está recebendo proteção das autoridades Chinesas, devido a que seu pai a mal-tratou durante 5 anos.
    O pai se é que um verme desses pode ainda ter esse título, foi preso, e consta que os maus tratos a menina, consistiam de derramar-lhe água fervendo sobre a sua cabeça e queimaduras com pontas de cigarro.

    Pra estragar o nosso dia essa notícia...Fala sério!

    ONE

    tuku.news.china.com









    Agradecimentos a 
    http://www.portaltodoscontraapedofilia.com 
    por divulgar este post, permitindo que pudesse ser resgatado.

    ONE

    0 0

       

    Uma menina de 12 anos da tribo dos Karens, que estava trabalhando em uma plantação de cana, foi raptada por um casal no norte da Tailândia.

    Presa em um quartinho, sendo forçada a trabalhar como escrava e torturada com água fervente por 5 anos, a garota num ato de desespero foge do seu cativeiro sendo resgatada por vizinhos e revelando o caso as autoridades Tailandesas.

    ONE

    Encontrei este post em um blog que como não nos citou como fonte, não cito a que me permitiu resgatá-lo.
    Baita chinelagem a de quem copiou este post e outros sem citar a fonte heim?¬¬'







    0 0


    Bebê nasce com estranha deformação no Egito



    0 0
  • 06/10/13--17:59: Tentativa de suicídio


  • sem inf.

    0 0


    O vídeo a seguir mostra um condenado por roubo sendo submetido a pena de Talião, ou seja, tendo a sua mão direita decepada.
    Na sequência, um outro é condenado à chibata (Dança gatinho, dança¬¬) por manter relações sexuais com uma deficiente mental. Sem querer condenar as suas leis e aplicações, ainda assim me foi impossível não comparar os pesos das penas aplicadas, através do meu defeituoso conceito de justiça...Por mim, o segundo deveria ser capado¬¬'
    As penas foram aplicadas na cidade de Gao, na republica de Mali, pelo Movimento pela unificação e pelo  Jihad na África Ocidental (MUJAD)
    ONE




    ONE

    0 0

    Hoje, a arte por traz da morte, continua trazendo imagens que eu considero arte. Apenas veja as imagens e perceba os pequenos detalhes da perfeição. (clique para continuar vendo)

    bebê ainda com a " capa protetora ". Esse tipo de parto é menos doloroso para a mãe e raro.


    copo em avançado estado decomposição, aproximadamente 14 dias

    cérebro ligado a espinha


    cortes na mão

    artérias do rosto em um corpo usado para estudos

    cérebro de um cachorro


    coração de um cachorro doente

    crânio com perfuração de bala na testa

    crânio de uma criança



    0 0

    Senhoras e senhores , este post é um oferecimento do nosso companheiro Nando do nosso amado Noite Sinistra , ele que nos ajudou muito nessa fase dificil e ainda contribui com excelentes posts .

    Trata se do lutador neozelandês Mark Hunt queesses diaslevou um cacete do Junior Cigano  mas vai ficar fora de combate por outro motivo.

    Ontem, o lutador peso-pesado gravou um vídeo diretamente de um hospital, no qual estava sendo tratado de uma infecção na perna esquerda causada por estafilococos após a luta com Cigano.






    Noite Sinistra

    0 0


    Na localidade de Tokaimura na prefeitura de Ibaraki, bem perto de onde o ONE aqui morava no Japão, a uns 125 km de Tóquio, aconteceram 2 acidentes nucleares de considerável importância e muito pouco divulgados, para não dizer acobertados...
    ONE

    Usina nuclear de Toukaimura

    Essas notícias rodaram na mídia Japonesa nas épocas dos respectivos acidentes, para em algumas semanas, tudo desaparecer em uma cortina de fumaça, lançada pela mídia Japonesa, manipulável e manipulada na época.

    Imagem de origem duvidosa, portanto meramente ilustrativa que mostraria vítima do segundo acidente de Toukaimura.

    Ou seja, no Japão todos sabem que aconteceram os acidentes, mas muitas informações não chegaram ao exterior ou quando chegaram eram fragmentadas ou tão curtas que o mundo não chegou a dar a devida atenção. O primeiro acidente aconteceu às 10.00 do dia 11 de março do ano 9 da era Heisei (1997) na planta de processamento de resíduos de baixa radioatividade da corporação Dounen (Corporação de Desenvolvimento Nuclear) foi detectado um incêndio fazendo soar os alarmes. A reação dos funcionários chegou quatro minutos depois, quando jogaram um metro cúbico de água sobre o fogo, o extinguindo.

    Imagem de origem duvidosa, portanto meramente ilustrativa que mostraria vítima do segundo acidente de Toukaimura.

    Por mais que o perigo aparentemente houvesse passado e a situação estivesse controlada, às 18.04 desse dia, houve uma explosão nessa mesma planta que destroçou muros e janelas do edifício.
    Como consequência 37 funcionário dos 112 que estavam nesse momento trabalhando na planta, foram expostos a níveis de radiação um pouco superiores aos normais (60 milhões de becquerel ) as 37 pessoas não sofreram danos ou efeitos colaterais graças a baixa exposição radioativa.
    Ainda que sem chegar a ser perigoso, o acidente deveria ter sido levado muito mais a sério e foi praticamente ignorado. Alguns poucos jornais do mundo relataram o caso.

    Imagem de origem duvidosa, portanto meramente ilustrativa que mostraria vítima do segundo acidente de Toukaimura. 

    No entanto o segundo acidente que aconteceu no dia 30 de setembro do ano 11 da era Heisei (1999) em uma planta de reciclagem de combustível nuclear da empresa JCO, foi ainda mais grave.
    Às 12.00 soaram os alarmes da planta e em um primeiro momento, foram desalojadas as casas mais próximas, sendo estabelecido um perímetro de segurança de 350 m.

    Cuba de preparo do combustível em que aconteceu o erro de medidas desencadeando a reação em cadeia que culminou com a morte de 2 funcionários e a contaminação de 49 pessoas em Toukaimura.

    Às 23.00 vendo a magnitude do problema, as autoridades decidiram estabelecer um perímetro de 10 km e recomendar às 310.000 pessoas que viviam dentro dessa zona, que não saíssem de suas casas. Este foi o pior desastre em instalações nucleares no Japão antes de Fukushima.

    Um balde similar a este foi utilizado para derramar os compostos na cuba...O erro na medida foi baseado na falta de preparo dos funcionários e dos instrumentos de medição. Gente...Era um balde comum!¬¬'

    A empresa reconheceu que a causa tinha sido uma sobrecarga de urânio.
    haviam aplicado 16 kg do elemento químico quando o máximo era de 2,3. Mas este erro poderia ter sido evitado, se tivessem aplicado a medida de prevenção de riscos trabalhistas obrigatória, no qual, não se usa recipientes que possam conter uma medida maior à massa crítica.

    O jornal notifica a evacuação da zona

    Os níveis chegaram a atingir até 15.000 vezes o limite do admissível para a vida. Outros relatórios assinalaram que essa cifra atingiu 40.000 vezes.
    Proibiu-se pescar e beber nas águas próximas ao acidente.
    Proibiu-se a colheita de qualquer exploração agrícola nas proximidades.
    49 pessoas entre população e trabalhadores sofreram danos de diversas gravidades e duas delas morreram por causa da exposição à radioatividade.

    Quase não há fotos das vítimas do acidente, salvo pela corajosa iniciativa do Canal NHK ("Canal cultura" do Japão)  em produzir um documentário e algumas poucas pessoas que mantiveram algumas imagens (Que como não poderia deixar de ser na internet do control+c+v, acabaram rodando pela web mundial, completamente fora de contexto...). Foto de Hisashi Ouchi, vítima do acidente.

    Como resultado seis altos cargos da empresa JCO foram condenados a penas entre dois e três anos de detenção por negligência e a responder pelos danos causados à sociedade e às despesas por manutenção de limpeza na planta.

    Segundo seus próprios testemunhos quando ainda vivos, Hisashi Ouchi e Masato Shinohara junto com seu superior não identificado, se enganaram quanto as medidas de urânio a serem adicionadas no reator, logo após adicionarem o isótopo na água pesada, a cuba começou a ferver, tremer e emanar luz. Os funcionários fugiram antes de um possível explosão, mas já era tarde demais, pois a violenta e invisível descarga radioativa os atingira em cheio.

    Foto da mão de Hisashi Ouchi, alguns dias após dar entrada no hospital de Toudai, no dia 7 de outubro de 1999. Sua mão e seu braço estão um pouco inchados. Na sequência,
    A foto do mesmo braço tomada no dia 25 de outubro de 1999. Nota-se a perda total de pele, e escuridão dos tecidos.



    Ouchi não conseguia falar e se comunicava por meio de bilhetes com os médicos e enfermeiras.

    "Por favor, pare!"
     
    Em uma tentativa desesperada de conter os efeitos radioativos, os médicos implantam em Ouchi, células de sua irmã e enxertos de pele...

    "Não aguento mais!"

    Mas não obtiveram resultados, e a situação clínica de Ouchi piora cada vez mais...

    "Eu vou embora para casa!"

    Amostra de Cromatina de ADN sadio:
      
    Amostra de Cromatina de ADN de Hisashi Ouchi:

    "Mãe"

    O avanço cronológico da deterioração do intestino de Ouchi:

    A última foto de Ouchi ainda vivo:

    Após 83 dias de luta pela vida, Hisashi Ouchi pereceu vítima do acidente nuclear de Toukaimura...

    O que se sabe sobre Masato Shinohara não foi muito bem registrado, sabe-se que também morreu pelos efeitos radioativos e restaram poucas fotos do sofrimento a que passou.

    A imagem abaixo mostra a evolução dos efeitos radioativos, a primeira foto da esquerda para a direita é de Masato Shinohara, a seguinte foi tomada no dia 30 de setembro, dia do acidente e as imagens na sequência são tomadas uma a cada mês, tendo a última foto tirada no dia 4 de janeiro de 2000, onde a legenda diz que ele perdeu a capacidade de regeneração por causa da destruição de seu ADN.

    Uma das últimas fotos de Shinohara ainda vivo:

    O pior de toda estas 2 histórias, é que estes acidentes aconteceram no país onde soltaram a bomba atômica. Seria de se esperar muito mais cuidado, já que é um povo que conhece diretamente os efeitos nefastos da radiação.
    Mas nada é ruim que não possa ficar pior...
    Pois o ONE aqui, descobriu mais um acidente radioativo no Japão que eu nem imaginava, fora estes 2 e o de Fukushima recentemente...
    Estou na caçada do material, e em breve pretendo publicá-lo, mas não sem antes deixar a seguinte questão:

    Como está o nosso programa nuclear Brasileiro?

    ONE
    http://unkar.org/

    0 0
  • 06/11/13--15:45: BLOG EM MANUTENÇÃO
  • ESTAMOS POSTANDO NORMALMENTE POREM ESTAMOS EM MANUTENÇÃO . ENTÃO ALEM DOS NOVOS POST VCS VÃO ENCONTRAR POST ANTIGOS E OU QUEBRADOS NO MEIO DA PAGINA , MAS LOGO ESTAREMOS AO NOSSO RITMO NORMAL.


    PEDIMOS DESCULPAS AOS NOSSOS LEITORES E PARCEIROS POIS NOS PROXIMOS DIAS ESTAREMOS BEM BAGUNÇADOS FALTANDO ORGANIZAR POSTS RECUPERADOS , LAYOUT, BANNERS ENTRE OUTRAS COISAS , SE PRECISAR ENTRE EM CONTATO NO CONTATO@OMUNDOREAL.COM.BR

    DO MAIS NÃO DEIXE DE CONFERIR NOSSOS POSTS INEDITOS  DIARIOS ...




    0 0

    Imagens para (talvez) mexer com o psicológico de vocês e pensarem sobre a morte.

    corpo enrolado em plástico ensanguentado (não sei se é fake)



    criança morta com insetos comendo sua carne


    acidente com irmãos de 7 e 13 anos deixa um dos irmãos nesse estado


    O toureiro Juan José Padilla levou uma chifrada na cara e o chifre varou no olho 


    a mãe matou seus dos filhos com uma serra elétrica

    acidente de carro deixa homem prensado em arvore


    ginasta quebra seu tornozelo no trampolim

    criança com 1/3 do rosto destruido

     
    sofrimento de uma filha ao ver seu pai morto. Possivel assassinato




    0 0



    COM LICENÇA  AO PESSOAL AQUI DO BLOG MAS ESTOU UPANDO ESSE MEU POST AQUI ..

    EU HAVIA POSTADO POUCOS MINUTOS ANTES DO BLOG CAIR E FOI RECUPERADO PELO GRANDE ONE ( É QUE ELE É MEIO HACKER SABE ) COMO ELE É MEIO SINISTRO E ACHO QUE POUCA GENTE DEVE TER VISTO , LÁ VAI :




    Agora com vcs um dos casos fodas de , sei lá talvez necrofilia , de toda maldade e loucura humana em um só maluco , o caso de Matthias Schoormann.



    No Ano de 2008 em uma cidade chamada Leer na Alemanha ,o programador de computadores Matthias Schoormann de 32 anos , que gostava de um black metal , se apaixonou loucamente pela medica de 27 anos Bianca Brust .





    Porém Bianca não compartilhava com o mesmo sentimento de Matthias e não queria nada com ele além de simples "amizade".

    No dia 20 de fevereiro de 2008 ele a convidou para ir em sua casa para se declarar de vez , porem Bianca havia ido apenas para dizer que não queria nada e deixa se ela em paz . Matthias se descontrola e num surto de fúria acaba estrangulando ela e a matando .

    Ele gostava de um gore e havia assistido varios videos mexicanos de decapitação , e foi o que ele fez .Decapitou a mulher que se apaixonara e realizou um "ensaio fotografico" com ela nua e realizou necrofilia ( necrofilia ,antes que falem não é só a penetração em si ).





    Por volta das 01:00 em 21 de fevereiro de 2008 Matthias Schoormann entra  em um forum que tinha sido um membro por um longo tempo, mas nunca publicado no e começou uma discussão intitulado " cadela morta ", no qual ele postou as fotos de Bianca decapitada  e sua cabeça .As primeiras respostas , e imediatas foram" fake,fake"














    Quando o dono do forum entrou em contato com ele , imediatamente apagou as fotos , colocou a cabeça dela em uma mochila ,colocou fogo em seu apartamento e fugiu em alta velocidade .Um vizinho que viu o fogo chamou a policia e os bombeiros que encontraram o corpo de Bianca.

    Matthias resolve se suicidar e bate de frente com um caminhão ...









    0 0

    Equador: Autoridades ainda não confirmam matança de 18 Taromenane
    Os waorani foram atravessados por lanças no dia 5 de março.
    - Waoranis teriam se vingando da morte de dois idosos de sua etnia ocorrido em 5 de março por supostos Taromenane. Conflitos interétnicos incrementam-se por pressão petrolífera sobre territórios indígenas.

    Servindi, 5 de abril, 2013.- A suposta matança de dezoito indígenas isolados pertencentes à etnia Taromenane pelas  mãos de indígenas Waorani não pôde ser confirmada até a quinta-feira 4 de abril por uma comitiva de autoridades e dirigentes que sobrevoaram três vezes a província de Orellana por três dias consecutivos. A primeira notícia da matança veio do dirigente nativo Gilberto Nenquimo, vice-presidente da Nacionalidade Waorani de Equador (NAWE), quem assegurou que um informante lhe comunicou por telefone do fato criminoso.


    A fonte de Nenquino assegurou-lhe por telefone que o ataque contra uma moradia dos aborígenes em isolamento voluntário se produziu a meia-noite da sexta-feira 29 de março, com um saldo de 18 mortos entre adultos e mulheres.O diário A Hora informou que além disso houve meninos mortos, além dos 18 falecidos, que o informante “não pôde contar por ter medo”. A suposta agressão -ainda não confirmada pelas autoridades- teria sido produzida por vingança pelo assassinato do idoso chefe waorani Ompore Omeway e sua esposa.


    Eles foram mortos à lançadas em 5 de março último, perto da localidade de Yarentaro, ao leste da província de Orellana, supostamente pelas mãos de atacantes taromenane.Cahuetipe Yeti, presidente da NAWE, declarou na quarta-feira que os atacantes waorani teriam capturado com vida a duas meninas taromenane, que foram levadas a uma comunidade waorani. Por sua vez Gilberto Nenquimo afirmou que a dirigência da NAWE negociará para que as menores taromenane, dentre oito e nove anos, sejam devolvidas a sua etnia para evitar mais conflitos e represálias.


    A comitiva de busca esteve conformada por autoridades da Promotoria, a Polícia Judicial e dirigentes indígenas que sobrevoaram os espessos bosques do Parque Nacional Yasuní e o Território Huaorani, em Orellana, de forma infrutífera. O antropólogo José Proaño, e parte do grupo, expressou que “ainda não se localizou o lugar nem os mortos nem nenhum sinal do ataque”.



    Ora...Mas a novela da Globo mostra os índios tão bonzinhos e iluminados...:)

    http://servindi.org/actualidad/85152
    ONE


    0 0
  • 06/12/13--16:30: Repost : A Guerra do Chaco




  • Eu sempre fui ligado a esse mundo gore/realidade , isso vem desde as fitas vhs lá da decada de 90 , quem já é meio "tiozinho" deve se lembrar das famosas series "traços da morte" e " faces da morte"

    Minha esposa nem chega perto quando estou vendo essas coisas e quando resolvi criar o blog fui chamado de louco kkkkkkkkkk e não foi só ela não ...

    Mas o que eles ,quem chamam pessoas como eu de louco , não sabem é que se aprende muita coisa navegando por esse conteudo , não é só um gosto macabro que a gente tem . Aprendemos ,por exemplo , a sermos motoristas cautelosos , o proprio detran quando faz reciclagem de  cnh mostra imagens ,que para alguns são chocantes , de acidentes graves meio como um tratamento de choque .

    E no caso do O Mundo Real vc aprende muito de historia tambem e o grande exemplo disso é esse post
    sobre essa guerra sul americana ocorrida entre a primeira e a segunda guerra ( talvez por isso ele tenha sido fuscada) e que muita gente nem tinha ouvido falar ,A Guerra do chaco , que aprendi e agora estou passando pra vcs , confiram :




    A Guerra do Chaco foi um conflito armado entre a Bolívia e o Paraguai que se estendeu de 1932 a 1935.





    Originou-se pela disputa territorial da região do Chaco Boreal, tendo como uma das causas a descoberta de petróleo no sopé dos Andes. Deixou um saldo de 60 mil bolivianos e 30 mil paraguaios mortos, tendo resultado na derrota dos bolivianos com a perda e anexação de parte de seu território pelos paraguaios.






    Os antecedentes do conflito residem nas várias disputas entre a Bolívia e o Paraguai pela posse de uma área da região do Chaco que vai até a margem direita do rio Paraguai e que na época do antigo Vice-Reinado do Rio da Prata pertencia à Bolívia. Portanto, após a independência dos dois países da Espanha, a região permaneceu em litígio, muito despovoada e as quatro tentativas de acordos de limites de fronteiras entre 1884 e 1907 foram rejeitadas por ambos os países. Anteriormente, a Bolívia já havia perdido o seu litoral e acesso ao Oceano Pacífico durante um conflito com o Chile, entre 1879 e 1881, conhecido como Guerra do Pacífico, também havia perdido o Acre, rico em seringueiras para produção da borracha, para o Brasil, através do Tratado de Petrópolis em 1903.
    A Bolívia desejava ter um acesso ao Oceano Atlântico via rio Paraguai e, para ter pleno acesso àquele rio, necessitava ocupar o Chaco, em território paraguaio.







    Uma pequena ocupação e exploração do Chaco havia sido promovida na década de 1920 pelo Paraguai, com alguns assentamentos agrícolas iniciados por imigrantes alemães menonitas.
    Além disso os paraguaios faziam algumas operações de corte de quebrachos, ricos em tanino, para o curtume de couros, e haviam construído algumas ferrovias de bitola estreita para o interior do Chaco, a fim de transportar as toras de madeira até ao rio Paraguai.
    Em 1930, a Bolívia assim como outros países capitalistas, estavam sofrendo com a Grande Depressão que provocou o colapso da economia boliviana e para piorar, o presidente boliviano Hernando Siles Reyes foi derrubado por um golpe de estado quando tentava prolongar seu mandato. Sendo substituído por Carlos Blanco Galindo. Em 1931, o Congresso Nacional elegeu o candidato Daniel Salamanca Urey, um idoso de 62 anos de idade que sofria de terríveis dores abdominais, como novo presidente da Bolívia. A Bolívia reclamava o território do Chaco e pretendia anexá-lo.






    Com a suposta descoberta de petróleo no sopé da cordilheira dos Andes, na região do Chaco Boreal, eclodiu o conflito entre ambas as nações. A Bolívia e o Paraguai eram as duas nações mais pobres da América do Sul, sendo que para o Paraguai o Chaco lhe proporcionava grandes vantagens com quase 600.000 km², e as reservas petrolíferas já existentes. A Bolívia devido às crises viu a necessidade de invadir o Chaco. Então em 1932, o Exército Boliviano, sem autorização do presidente, entra no Chaco e nas margens do Lago Pitiantuta, tentam guarnecer o local, mas os paraguaios descobrem e retomam o lago, uma expedição boliviana é enviada e expulsa os paraguaios e também conseguem tomar os fortes paraguaios de Corrales, Toledo e Boquerón, com isso o presidente paraguaio Eusebio Ayala declara guerra à Bolívia







    O Paraguai tinha 2 vantagens. 1º: Os paraguaios estavam mais perto do Teatro de Operações, permitindo as tropas serem transportadas de navio até Puerto Casado e de lá seguirem de trem até perto do QG em Isla Potí. E 2º: os paraguaios mobilizaram todo o exército diferente dos bolivianos que tinham dificuldades e temia um desperdício mobilizando todos os homens, também havia dificuldades para transportá-los pelo Chaco, com estradas esburacadas, pouca água e temperatura de 40º C.
    Anos antes da guerra, o Marechal alemão Hans Kundt, comandou o Exército Boliviano, tentando sem sucesso modernizar o exército, melhorar a vida dos soldados e adquirir armas modernas e reorganizar a administração. Era Baseado nos princípios alemãos, tentou prussianizar o exército boliviano, que entretanto era carente de logística e experiência, os exércitos não tinha comunicação entre si, era difícil promover ataques coordenados.Com a derrubada de Siles Reyes, foi demitido.









    O Exército Paraguaio estava em menor número, mas tinha armas modernas e os paraguaios estavam dispostos à lutar até o fim, o Paraguai havia mobilizado, no início, em torno de 15.000 homens, enquanto que os bolivianos mobilizaram, em Agosto, em torno de 10.000 homens. O Marechal paraguaio, José Félix Estigarribia, acreditando que haviam em torno de 1200 bolivianos, preparou um ataque para retomar o forte de Boquerón, com apenas 448 soldados, 350 fuzis, 13 metralhadoras pesadas e 27 leves, além de 2 canhões Krupp, 1 canhão Schneider e 2 canhões anti-aéreo. No dia 8 de setembro, um avião boliviano avistou os paraguaios marchando e avisou os bolivianos, no dia 9, iniciou a Batalha de Boquerón,os bolivianos eram 5000, permitindo repelir o ataque paraguaio, somente nesse dia houve 7 tentativas frustradas de recuperar o forte. Depois de vários dias de combates, os bolivianos exaustos, famintos e doentes, abandonam o forte, permitindo os paraguaios de avançarem ao Norte.
    Depois da derrota em Boquerón, Salamanca convida Kundt para retornar ao Comando-Geral do Exército. Kundt aceita e tenta promover ataques baseados nos já antiquados métodos da Primeira Guerra Mundial, ele não era um bom estrategista promovendo fracassadas ofensivas.







    Em outubro de 1932, os paraguaios atacam o poderoso Forte Arce conseguindo conquistá-lo. Em 1933, os bolivianos, comandados por Kundt, contra-atacam o Forte Nanawa com 7000 homens, os 1485 paraguaios resistem sob o comando de Estigarribia, por vários meses até que em julho, os bolivianos desistem, o Forte Nanawa desde então ficou conhecido como "Verdun da América do Sul".
    Durante o Cerco de Campo Vía, em dezembro de 1933, 10000 bolivianos tentam desesperadamente contra-atacar os paraguaios, mas estes descobrem os planos depois que interceptam mensagens de rádio e se preparam para o ataque, a Força Aérea Boliviana tenta lançar bombas sobre os inimigos, mas infelizmente acerta os próprios soldados bolivianos, assim, o combate inicia, os 17.000 paraguaios comandados por Estigarribia, resistem e vencem aniquilando quase todo o exército boliviano de uma só vez. Com isso, o Marechal Kundt foi substituído no Comando-Geral pelo General Peñarada. Kundt retorna para a Alemanha falecendo em 1939.
    Com a ajuda da Marinha do Paraguai, os paraguaios puderam se deslocar mais rápido do que os bolivianos.






    Em 1934, a Bolívia tentava enviar mais reforços, mas devido ao clima e as chuvas que enxarcavam as estradas esburacadas dificultando as operações, além das dificuldades econômicas fizeram com que oficias de alta patente liderados pelo General Peñarada, dessem um golpe de estado derrubando Salamanca e assumindo José Luis Tejada como novo presidente.
    Em junho de 1935, ocorre a última batalha, em Ingavi, 3000 bolivianos comandados pelo coronel Bretel combateram 850 paraguaios comandados pelo coronel Rivarola que derrotou definitivamente os bolivianos, então sem forças, a Bolívia se rende, iniciando as negociações de paz. Em 21 de julho de 1938, os dois países aceitaram o acordo de paz realizado em Buenos Aires, o Paraguai ficou com 3/4 do Chaco Boreal e a Bolívia ficou com 1/4, acabando com 3 anos de guerra, e levando os dois países à novas dificuldades econômicas devido a guerra e a descoberta de que os supostos poços de petróleo não existiam.









    E AI GOSTARAM ????????????


    0 0

    Esse post eu lembro que agendei ,porem não lembro se chegou a ser publicado antes da queda .

    Andando pela net se encontra ,ilhares de imagens do holocausto ( inclusive no blog) e como nem sei se temos ainda não linkarei o outro post , porem essas são "ineditas" aqui no blog.








































    0 0



    Apedrejamento

    Como mata - A vítima é envolvida dos pés à cabeça em um tecido branco e colocada numa vala. Como em geral é aplicada em crimes de honra praticados por mulheres de países muçulmanos, os carrascos são homens – membros da família e da comunidade local. Eles fazem um círculo em volta da vítima e pegam as pedras, que não devem ser muito grandes (para evitar desmaios rápidos). Todo o ritual é conduzido para assegurar uma morte lenta e dolorosa. Quem começa o ritual é o juiz da sentença, seguido pelos jurados e pelo público.

    Como morre - As pedradas geram um monte de traumas por todo o corpo do condenado, mas a morte se dá geralmente pelas pedradas na cabeça – que provocam fortes hemorragias intracranianas. Entre a primeira pedra atirada e a morte da vítima, costuma transcorrer mais de uma hora.

    Grau de sofrimento- Máximo.

    Onde é aplicada - Irã, Nigéria, Paquistão e Arábia Saudita, entre outros países.






    .
    Fuzilamento

    Como mata - Um pelotão de fuzilamento fica disposto a cerca de 6 metros de distância da vítima e dispara simultaneamente tiros de armas de fogo contra ela, que é vendada e tem seus pés e mãos amarrados. A posição de morte pode ser sentado ou em pé. Nenhum membro do grupo armado pode deixar de atirar. É muito aplicada em execuções de crimes de guerra – até países que não aplicam a pena de morte em outras circunstâncias, como o Brasil, prevêem o fuzilamento militar.

    Como morre - Pelo fato de os tiros partirem de diversas direções e alturas, a vítima sofre lesões em vários órgãos do corpo ao mesmo tempo. A morte se dá por hemorragia ou por lesão direta pelo projétil no sistema nervoso central, no caso de uma bala atingir a cabeça de imediato. O condenado leva cerca de dois minutos para morrer.

    Grau de sofrimento - Médio.

    Onde é aplicada - EUA, China, Somália, Taiwan, Uzbequistão, Guatemala e Vietnã, entre outros países.






    Cadeira Elétrica

    Como mata - O condenado tem o corpo todo depilado (para evitar pêlos em chamas). Ele é preso com cintas na cadeira. Eletrodos com esponjas embebidas em solução salina são ligados às pernas e à cabeça – para fechar o circuito – e um capacete de metal é colocado no crânio para conduzir corrente elétrica. O prisioneiro é então vendado. Pelo menos dois choques de 500 a 2 mil volts são aplicados durante cerca de 30 segundos. Se o condenado sobrevive, o processo é repetido quantas vezes for necessário.

    Como morre - A descarga interrompe funções vitais, como o controle dos batimentos cardíacos e do ritmo respiratório – e também deixa o condenado inconsciente. No momento do choque, todos os músculos do corpo da vítima se contraem e ocorre arritmia e parada cardíaca.

    Grau de sofrimento - Variável. Se a morte ocorrer no primeiro choque, o sofrimento é médio. Se for preciso mais de uma descarga elétrica, o condenado sofre muito.

    Onde é aplicada - Nos EUA.





    Forca

    Primeiro, é feito um ensaio com um saco de areia do mesmo peso do condenado para saber que comprimento da corda causará uma morte rápida. Se ela for longa demais, poderá arrancar a cabeça. Muito curta, pode causar asfixia, o que prolonga a agonia por até 20 minutos. A corda é fervida e torcida para que não enrole ou fique torta. O nó é lubrificado com sabão para garantir o deslizamento. Um alçapão é aberto sob o prisioneiro, que cai e fica pendurado pela corda no pescoço.

    Como morre - Há dois tipos de morte por enforcamento. Quando a corda que prende o condenado é longa, ocorre fratura das vértebras cervicais e lesão da medula espinhal. Nesse caso, a morte se dá em menos de um minuto. Na morte por asfixia, demorada, há convulsões – e o prisioneiro urina e defeca.

    Grau de sofrimento - Baixo (em condições normais) a alto (em caso de corda muito curta).EUA (apesar de ainda ser prevista em lei, não é usada desde 1996), China, Guatemala e Iraque, entre outros países.

    Onde é aplicada - EUA (apesar de ainda ser prevista em lei, não é usada desde 1996), China, Guatemala e Iraque, entre outros países








    injeção letal


    Como mata - A primeira etapa da execução é amarrar o condenado a uma maca. Depois, um membro do comitê de execução põe sensores de batimento cardíaco em seu corpo. Duas sondas são inseridas em veias dos braços. Uma injeta soro fisiológico, que depois será substituído por veneno. A outra só é acionada em caso de falha no sistema principal. Quando a execução é autorizada, a sonda injeta um sedativo. O condenado dorme, recebe curare e, por fim, cloreto de potássio.

    Como morre - Quando recebe o curare, o corpo da vítima sofre paralisia em todo o sistema muscular, incluindo o diafragma, músculo responsável pela respiração. Após a injeção do cloreto de potássio, há a parada cardíaca e a morte. O tempo médio para o falecimento varia de 5 a 7 minutos, embora o procedimento todo dure uns 45 minutos.

    Grau de sofrimento - Mínimo.

    Onde é aplicada - EUA - 37 dos 38 estados que têm pena de morte usam esse tipo de execução –, China e Guatemala, entre outros países.






    Decapitacão

    Como mata - Nos países em que ainda é praticado, o método utiliza a espada para matar. O condenado é geralmente vendado e pode ficar sentado ou deitado. Quando apenas um golpe de espada é suficiente para decapitar a vítima, ela perde a consciência em segundos. No entanto, devido ao fato de os músculos e as vértebras do pescoço serem rijos, a decapitação pode exigir mais espadadas.

    Como morre - A morte ocorre porque a medula espinhal, que abriga células que transmitem impulsos vitais do cérebro para os órgãos, é cortada. Assim, batimentos cardíacos e respiração cessam instantaneamente, e a consciência dura menos de 3 segundos.

    Grau de sofrimento - Mínimo, se o carrasco mandar bem e cortar a cabeça num só golpe. Cada espadada extra aumenta o sofrimento.

    Onde é aplicada - Arábia Saudita, China, Guatemala e Iraque.








    texto extraido domedo

    0 0


    Resumindo o texto, se trata de uma Etnia que quer fundar a sua própria pátria e tê-la reconhecida dentro dos Estados Unidos da América, do contrário irão embargar imóveis dentro do seu território...

    A República de Lakota ou República de Lakotah é uma entidade não reconhecida autoproclamada dentro das fronteiras dos Estados Unidos que reclama parte dos estados de Dakota do Norte, Dakota do Sul, Nebraska, Wyoming e Montana.
    Um grupo de ameríndios norte-americanos, denominados Delegação de Liberdade Lakota, argumenta que a afirmação recente de independência não é uma seseção dos Estados Unidos, mas sim, uma reiteração de soberania.
    Até a data, o país não é reconhecido e certos membros da tribo lakota argumentam que não foram representados nas decisões. O verdadeiro grau de apoio à Delegação de Liberdade Lakota ou para a renúncia lakota dos Estados Unidos é desconhecido. A Delegação de Liberdade Lakota não reconhece nem os presidentes nem os governos tribais reconhecidos pelo Escritório de Assuntos Indígenas Americano, às vezes lhes acusando de "colaboracionistas".
    As fronteiras reclamadas de Lakota são o rio Yellowstone, ao Norte; o rio Platte Norte, ao Sul; o rio Missouri, ao Leste; e uma linha irregular marcando o Oeste. Estas fronteiras coincidem com as estabelecidas no Tratado de Fort Laramie em 1851:

        "O território dos Sioux ou Nação Dakota, começando na  desembocadura do rio White Earth, sobre o rio Missouri; daí em uma direção do sudoeste às bifurcações do rio Platte; daí a desembocadura norte do rio Platte acima a um ponto conhecido como a Rede Buts, ou onde o caminho deixa o rio; daí ao longo da serra conhecida como as Black Hills, às águas frontais do rio Heart; daí pelo rio Heart até sua desembocadura; e daí pelo rio Missouri ao lugar de origem."

    Desde o primeiro de janeiro do 2008 a República tem declarado que vão apresentar demanda de embargo sobre todas as terras mantidas pelo governo Americano dentro de suas fronteiras.
    A cidadania estaria aberta ao povo lakota e a qualquer residente das terras lakotas que renuncie a sua cidadania americana. O grupo pensa em expedir seus próprios passaportes e cartas de motorista.
    A República de Lakota propõe que a nação se organize como confederação segundo os princípios libertários de posse comitatus e caveat emptor, brindaria liberdade individual por domínio comunitário e não imporia impostos a escala nacional. No entanto, permitiria exigir impostos com licença das comunidades individuais dentro da nação. Não se propôs moeda, ainda que tenham sugerido que o país não use uma moeda fiduciária mas sim, que adote um padrão ouro.
    Há conflito dentro da Delegação sobre o nome do país. Russell Means promulga o nome República de Lakotah, enquanto Canupa Gluha Mani e outros membros da Delegação propõem Lakotah Oyate, argumentando que "república" é um conceito romano, não lakota. Não estimam também o conceito de um governo provisório, ponderando que o governo de Lakotah é contínuo com o governo tradicional do povo lakota. Não se propôs nenhuma capital. A República de Lakotah tem sua sede em Porcupine, Dakota do Sul com planos de transladar o governo perto de Rapid City, Dakota do Sul no futuro. A capital preferida por Lakotah Oyate é Hill City, também em Dakota do Sul.
    A Delegação de Liberdade Lakota viajou a Washington D.C. e pôs-se em contato com o Departamento de Estado dos Estados Unidos, declarando que o povo lakota tem se retratado de vários tratados entre a tribo e o governo Americano. A Delegação apresentou uma carta datada de 17 de dezembro de 2007 e assinada por ativistas velhos Russell Means, Garry Rowland, Canupa Gluha Mani e Phyllis Young. Citaram grandes violações dos tratados entre os Lakota e os Estados Unidos de causa imediata para retratarem-se. A carta convidou o governo Americano a participar de negociações com a entidade recém proclamada. Se negociações de boa fé não começarem, ameaçam com embargar todas transações de imóveis dentro da região lakota.
    O grupo tem procurado reconhecimento internacional para Lakotah às embaixadas de Venezuela , Bolívia, Chile e África do Sul, e tem afirmado que Irlanda e Timor Oriental estão "muito interessados". Esperam reconhecimento da Rússia, e têm feito referência a Finlândia e Islândia também. No entanto, nenhum destes países têm anunciado publicamente reconhecimento a república de Lakotah.

































    http://en.wikipedia.org
    ONE

    0 0




    ...Eu também quebrei a perna"
                                 (Raul Seixas)

    O autor do blog parceiro rusmea.com, fraturou a perna após saltar a sacada do seu apartamento, numa tentativa de destravar a porta de entrada pelo lado de fora que estava emperrada.
    Esteve internado no Hospital de base de São José do Rio Preto, onde passou por cirurgia para implantação de belíssimos pinos e suportes de metal azul de rara beleza :)
    Ainda que os seus gritos de dor, semelhantes aos gritinhos do Prince em Purpple Rain, chegassem até a redação do omundoreal, ele passa bem :)



    Apesar do material aqui postado, não ser nada impactante como estamos acostumados a ver, pelo menos se trata de algo exclusivo, coisa rara na internet do control+c, control+v... :)
    Aqui as belas imagens dos seus curativos.
    E as imagens das radiografias tem algo de poético...

    ONE
    rusmea.com/2013/03/e-quando-pedra-rolou-da-ribanceira.html












    0 0


      

    Essas imagens esta circulando na net essa semana e mostra um homem com o que parece ser uma grave doença .

    Vi ela em varios lugares ,porem nenhum trazia mais informações .

    Seus dentes ficaram expostos sobre seu rosto , parece ser aquela doença chamada Noma, embora seja mais comum na Africa .

    Se alguem souber do que se trata , favor ajuda aê :














    Atualizado em 21/03/2013 as 09:48 h

    Nosso  grande parceiro do blog RUSMEA nos enviou mais informações :


    O caso é na China e se trata de um Senhor que:

    "Aos 11 anos de idade, o sujeito foi atacado por lobos, ficando com a
    boca destruída.
    hoje com 64 anos de idade as marcas mostram as dimensões do ocorrido."

    Muito obrigado e forte abraço ao Rusmea

    0 0


    Estes são os últimos sobreviventes de uma colônia de leprosos chineses que foram banidos da sociedade, pois muitos acreditavam que eles foram amaldiçoados.

    Em Luduo, província de Yunnan, cerca de 80 pacientes foram colocadas em quarentena, quando foi estabelecido pela primeira vez.

    Mas a maioria já morreram no acampamento sem nunca ver seus parentes novamente, mesmo depois que eles foram curados, por causa do estigma associado à doença.

    Agora apenas sete permanecem.






    Lepra, também conhecida como doença de Hansen, é causada pela bactéria Mycobacterium leprae, que danifica a pele e do sistema nervoso periférico.

    Um mito comum é que as partes do corpo pode cair, mas pode causar membros para tornar-se insensível ou doente de infecções secundárias.

    Colônias de leprosos generalizou-se na Idade Média, particularmente na Europa e na Índia, porque as pessoas temiam porque a doença desfigurante era altamente contagiosa.
    Durante séculos, muitas culturas também viu isso como uma maldição ou um castigo dos deuses, deixando só os sacerdotes ou homens santos capaz de tratá-la.





    Os médicos ainda não tem certeza exatamente como a lepra se espalha, embora seja pensado para ser transmitida através de gotículas no ar através de tosse e espirros.





    A doença tornou-se curável em 1941 e sofredores podem agora ser facilmente tratada com um tratamento multi-droga (MDT) por seis a 12 meses.

    Quando tratada precocemente, a doença não é incapacitante e não deixa marcas em tudo.





    0 0


    A pior forma de morrer é de fome.
                                                ONE

    O historiador britânico Michael Jones publicou o livro “O sitio de Leningrado, 1941-1944″ onde contribui com novos e assustadores dados sobre o impenetrável cerco alemão que sofreu a cidade soviética durante 872 dias. Segundo tem descoberto Jones, durante o sitio de Leningrado, a falta de alimento fez que se desse um elevado número de casos de canibalismo.
    1.400 pessoas foram presas por isso, e 300 executadas pelo Governo de Stalin. “As cifras reais são sem dúvida bem mais altas. Durante o pior período do cerco, no final de janeiro do 1942 e princípios de fevereiro, distritos inteiros de Leningrado foram invadidos por canibais”.

    http://tejiendoelmundo.wordpress.com

    Valentina Rothmann, de 12 anos, descobriu horrorizada que a muitos dos cadáveres que transportava, lhes faltavam as nádegas. Isso não foi nada comparado com a experiência de outra jovem, Lado Rogova, à que perseguiu um canibal com olhos perdidos de fome e um machado. Maria Ivanovna surpreendeu-se ao ver que, no meio da carestia, uns inquilinos cozinhavam carne...Disseram-lhe que era cordeiro mas ao levantar a tampa da panela, entre o caldo surgiu uma mão humana.

    Aqui temos uma fotografia tomada em uma villa da região do Volga em 1921. Mostra a um casal de camponeses que raptava meninos para se alimentar de sua carne.
    (Desconfio desta foto ser de um outro caso. ONE)

    Parecem contos de terror. No entanto, são experiências reais vividas durante o sitio de Leningrado, conhecido como os 900 dias (em realidade 872), um dos piores cercos que recorda a história e no que o frio de até 40 graus a baixo de zero e a fome se somaram à guerra e a escuridão para configurar um quadro de penúria e espanto apocalíptico. Ninguém sabe quanta gente morreu.


    As autoridades reconheceram mais de 600.000 cidadãos mortos, mas outras cifras superam 1.200.000. Em um livro recentemente publicado, que constitui uma verdadeira descida aos infernos (O sitio de Leningrado, 1941-1944 ), ainda que é também um espantoso depoimento da capacidade de sobrevivência do ser humano e um comovedor canto à esperança. O historiador britânico Michael Jones, da Universidade de Bristol, revive extraordinariamente aquele cerco (em boa parte através do relato direto dos sobreviventes e seus diários) e oferece dados novos que revelam toda a crueza de um episódio da II Guerra Mundial, que foi manipulado pela história oficial soviética e que desde tanto tempo, sofria o esquecimento historiográfico.


    Segundo o texto das anotações em russo e chinês, trata-se de camponeses famintos que se alimentavam de carne humana
    Jones assinala que havia bandas organizadas, que um grupo de 20 canibais se dedicava a interceptar os correios militares (para os comer) e que em um lugar da rua de Zelenaya onde se vendiam batatas, se pedia ao comprador que olhasse onde se guardavam e quando este se agachava lhe golpeavam com o machado na nuca.


    A NKVD (comissariado do povo russo), advertiu de que nos mercados se vendia carne humana. “Cruzar a cidade era perigoso, e custava confiar nos demais”, recordava uma sobrevivente, que assinalava que se viam cadáveres mutilados por todas partes. Às mulheres cortavam-lhes especialmente os seios.


    A extensão do canibalismo dá a medida do desespero que provocou a falta de alimentos. As pessoas se desmoronavam de fome. A vida reduziu-se a tratar de encontrar comida. “O horror do que se viveu em Leningrado é quase inimaginável”, diz Jones. As pessoas comiam erva, bicho carpinteiro, fervia o papel das paredes, os cintos de couro, os livros…! A “cozinha do cerco” revelou uma macabra imaginação. “Muda-se gato por cola”, rezava um cartaz. Chegou um momento em que morriam 3.000 pessoas por dia de inanição, depois 15.000, 25.000… Ninguém tinha forças para os enterrar. Uma mãe só pôde arrastar a seu filho morto até a cova e ali o deixou. Houve epidemias de disenteria, de tifo, etc.


    Os alemães, e esta é outra das contribuições de Jones, não queriam meramente tomar a cidade de Petersburgo, como a chamava Hitler. “O objetivo dos nazistas era selar a cidade e matar de inanição a toda a população civil, dois milhões e meio de pessoas. Incluídos meio milhão de crianças”, ressalta o historiador. “Esta decisão estava motivada pelo ódio ideológico e racial. E a ela se aplicaram com rigor quase científico. Os alemães não teriam aceitado nem sequer a rendição incondicional de Leningrado”.


    Mas o cerco a Leningrado não é um caso isolado. Os casos de canibalismo humano registrados durante o século XX na Rússia e na União Soviética abundam. Durante a Segunda Guerra Mundial registraram-se também outros casos: no campo nazista Stalag , situado na Ucrânia, os alemães documentaram práticas canibais entre os prisioneiros de guerra soviéticos


    Também se sabe de atos de antropofagia ocorridos durante o Holocausto Ucraniano: uma fome provocada artificialmente por Stalin para subjugar os camponeses ucranianos, que assolou o território daquela República Socialista durante os anos de 1932 e 1933. Morreram aproximadamente 3,5 milhões de pessoas vítimas da inanição e desnutrição.


    O comunismo de guerra adotado pelos bolcheviques durante a Guerra Civil Russa causou a grande Fome de 1921, estendida por toda a região do Volga e os Urais. Morreram aproximadamente 5 milhões de pessoas. Aquele desastre humanitário impulsionou a muitas pessoas à prática do canibalismo.
    Entre os prisioneiros russos também se cometeram atos de canibalismo e no cerco de Leningrado os cadáveres dos meninos desapareciam das ruas.


    Em um documentário de Stalingrado houve um depoimento de uma civil russa que narrava como começaram a se comer os cavalos, depois os cães seguindo com os gatos e quando estes se acabaram ….
    A maioria das imagens deste post, procedem de uma exibição pública e oficial sobre a fome na região do Volga que se realizou no Kremlin em 1922. Dita exibição, incluía fotografias de camponeses praticantes do canibalismo que tinham sido capturados pela Checa (polícia secreta soviética).


    Pode que fizesse parte de uma campanha para conseguir ajuda internacional. Diversas organizações ocidentais enviaram alimentos a Rússia, até que se aperceberam que os bolcheviques vendiam os grão a países estrangeiros em vez de o utilizarem para acabar com a fome.
    Dado que muitos combates da Frente Oriental desenvolveram-se em condições extremas, não é de estranhar que  se chegasse a um comportamento tão extremo como o canibalismo.









    Fonte: O Mundo Real

    Agradecimentos a http://sacf-emfoco.blogspot.com.br/ por copiar nosso post mantendo a fonte e permitindo o resgate desta matéria.
     ONE

(Page 1) | 2 | 3 | .... | 35 | newer